top of page

NOITES CURTAS_

2024

19 a 22 de Junho
       Oficinas do Convento


NOITES CURTAS, uma curta mostra
de performances teatrais, nas noites
mais curtas de verão! Uma aposta na
criação de novas dramaturgias, assentes
no pressuposto da duração das peças.

Lançámos o desafio a doze artistas conhecidos do panorama nacional para reflectirem sobre o formato e desenvolverem a sua criação partindo dessa premissa. Doze espectáculos de curta duração em quatro noites consagradas às novas dramaturgias, apresentados nos dias 19, 20, 21 e 22 de Junho de 2024, às 21h30, nas Oficinas do Convento, em Montemor-o-Novo.

19/06

_____
Leonor Cabral - Benformoso
Carolina Santos /

Mákina de Cena - Prudência goes LIVE

Paulo Quedas - Fake News

20/06

____

DOIS / Ivo Alexandre - Ocultação / Revelação

Neto Portela - Touro Werk #1

Ricardo Falcão - Touro Werk #2


21/06

____

Dois.Artistas.Clandestinos - Deus Pátria e Tiktok

Miguel Antunes - Barbas de Baleia à Beira do Fim

Rolando Galhardas - Nos Lábios da Liberdade


22/06

____

Inestética - She's Lost Control

Sara Anjo - Peça par um pedido

Das Entranhas - 1x2

FICHA TÉCNICA

Coordenação e Programação_ Francisco Campos
Produção_ Catarina Caetano | Sofia Trindade
Coordenação técnica_ Nuno Patinho | Nuno Borda de Água
Imagem_ Miguel Rocha

Apoio à Comunicação_ Raquel Cunha
Financiamento_ Município de Montemor-o-Novo, MC - Direcção Geral das Artes
Parceria_ Oficinas do Convento

cartazFinal.png

1# BENFORMOSO |︎︎︎ Leonor Cabral

A rua por onde mais vezes passei é a do Benformoso. As minhas pernas palmilharam vezes sem conta os 650 metros que unem o Martim Moniz ao Intendente. Os meus olhos gravaram na memória histórias. Algumas quis esquecer. Outras, escrevi-as para recontar. Dezassete anos depois, estou de partida. Esta é a minha despedida do Benformoso.

19 de junho - Leonor Cabral.JPG

Criação e interpretação_ Leonor Cabral

2# PRUDÊNCIA GOES LIVE |︎︎︎ Carolina Santos / Mákina de Cena

Madalena Prudência é uma pensadora solitária, que concentra em si todas as dúvidas relativas à existência do tempo e das coisas, dos fenómenos energéticos da matéria, e do absurdo da humanidade. Apesar do desapego tecnológico, a recente introdução às redes sociais e um fraquinho crescente pelo senhor que lhe responde no CHAT GPT, despoletam a sua incursão no mundo dos vídeo-bloggers, com um podcast - modesto mas acutilante, sobre a actualidade.

19 de junho_ credit_Daniel Pina - Mákina de Cena Produção.jpg

Criação e interpretação_ Carolina Santos

3# FAKE NEWS | Paulo Quedas

Os boatos, mesmo que se saiba que são falsos, secretamente, todos querem acreditar que têm algum fundamento. A palavra tem a capacidade, não só de nomear o seu referente, mas de produzir o espectro de algo que não existe.

 

parcialmente dito por Mladen Dolar

19 de junho - Paulo Quedas.jpg

Criação e interpretação_ Paulo Quedas

4#  OCULTAÇÃO / REVELAÇÃO ︎︎︎| DOIS / Ivo Alexandre

A partir da imagem do dramaturgo Gil Vicente, o artista plástico João Ribeiro, em pleno ato artístico. Munido de pinceis e tinta, contra a tela, acrescenta, retira, transforma, refaz, preenche. Os textos, nas vozes dos atores Anabela Faustino e Ivo Alexandre. Jogo de Ocultação / Revelação. Será mesmo Gil Vicente?

20 de junho - DOIS Ivo Alexandre.jpg

Criação: Ivo Alexandre, Anabela Faustino e João Ribeiro

Interpretação_DOIS

5# TOURO WERK #1| Neto Portela

Ehhh touro! Ehhh touro lindo! Eh touro, eh touro, eh touro werk! 

É touro lindo! É Touro Werk!Touro Werk é uma performance sonora e teatral, uma homenagem ao imaginário poético das corridas de touros, ao touro (em especial) e ao forcado que o admira e respeita. Ambos nasceram para o werk.

Tourowerk.png

Criação_ Neto Portela e Ricardo Falcão

Interpretação_ Neto Portela

6# TOURO WERK #2 |︎︎︎ Ricardo Falcão

Ambos nasceram para o werk.

Siga a música, juntem e abanem esses glúteos que esta nova tourada veio para ficar! Juntem-se ao nosso Touro Werk!

Tourowerkimagem.png

Criação_ Neto Portela e Ricardo Falcão

Interpretação_ Ricardo Falcão

7# DEUS PÁTRIA E TIKTOK |︎︎︎ Dois.Artistas.Clandestinos

Deus Pátria e Tiktok é uma conferência, um espetáculo, uma conferência-espetáculo. Dois palestrantes, um lema salazarista e uma rede social encontram-se numa sala. Estão lançadas as bases para esta talk à moda antiga. Dois conferencistas com currículos duvidosos percorrem o país para apresentar a sua petição que propõe pequenas alterações à Constituição Portuguesa, para o bem maior de um vasto projeto que devolverá Portugal aos portugueses. Através da sua conferência mostram que dificilmente houve fascismo em Portugal, que a ditadura foi um lugar de progresso e que há uma necessidade de novos projetos que promovam o Ser Português. Deus Pátria e Tiktok é o primeiro objeto artístico da dupla DOIS.ARTISTAS.CLANDESTINOS formada por Bárbara Soares e Marco Ferreira, que conta com o apoio da companhia Baal17, a quem se juntam um conjunto de artistas para pensar artisticamente no papel que devemos representar na defesa dos valores democráticos conquistados há 50 anos. Sempre com muito humor. Porque o assunto é sério. Muito sério.

21 de junho - doisartistasclandestinos.jpg

Criação, dramaturgia e interpretação _ Bárbara Soares e Marco Ferreira

8# BARBAS DE BALEIA À BEIRA DO FIM ︎︎︎| Miguel Antunes

"Se eu quisesse enlouquecia. Sei uma quantidade de histórias terríveis. Vi muita coisa, contaram-me casos extraordinários, eu próprio…” O homem sabe que vai morrer em breve. Visita recordações, recupera memórias. Procura razões para a vida que teve, justificações para o final que está prestes a chegar. Não as encontra.

21 de junho - Miguel Antunes.jpeg

Criação e interpretação_ Miguel Antunes

9# NOS LÁBIOS DA LIBERDADE |︎︎︎ Rolando Galhardas

Nós Lábios da Liberdade já beijei a sensação de cair em queda livre. Cubro-me de pele e coragem e caminho no quotidiano que me rodeia e que imprime no meu corpo a liberdade que me julga ser justa. 50 anos de liberdade? Em que corpos, em que gente, em que lábios?

21 de junho - Rolando Galhardas.jpg

Direção Artística: André Batista e Rolando Galhardas

Interpretação: Rolando Galhardas

Operação Técnica: André Batista

10# SHE'S LOST CONTROL |︎︎︎ Inestética

A performance “She’s Lost Control” tem como elemento central uma vídeo-instalação de Alexandre Lyra Leite, inspirada no icónico tema dos Joy Division. Em diálogo com a vídeo-instalação, a actriz/cantora Joana Manuel e o músico João Cardoso exploram territórios sonoros pós-punk e a bailarina Carolina Inácio introduz outras distorções, com um solo especialmente concebido para a música da banda de Manchester. O poder enigmático da imagem, da palavra e do som, numa “mise-en-scène” sobre a perda de controlo, em múltiplas perspectivas.

22 de junho - Inestética companhia teatral.jpg

Concepção e Direcção Artística - Alexandre Lyra Leite

11# PEÇA PARA UM PEDIDO |︎︎︎ Sara Anjo

Esta peça é uma dança oração. É uma prece para que a nossa relação com o planeta seja de reciprocidade, de liberdade, além da força da gravidade. É um pedido pela paz, com o direito a caminhar e a habitar um lugar, uma casa, um planeta sem alienar o direito de alguém ou de alguma espécie. É também uma invocação à memória de uma grande amiga, a bailarina Mickaella Dantas, que partiu do nosso mundo no dia que recebi o convite para participar nas Curtas.

22 de junho - Sara Anjo.jpeg

Criação e interpretação: Sara Anjo

12# 1x2 |︎︎︎ Das Entranhas

Uma performance teatral como um jogo de azar; um lugar onde tudo pode acontecer. Alguém pode ganhar e todos podem perder! Um casting. Um erro de casting. Um projecto sem eira nem beira, sem projecto, um equívoco. A construção e a destruição do processo criativo. As dissecações do corpo artístico e do corpo real, de uma pessoa real, normal, cheia de limitações, inquietações, fragilidades, ossos, músculos, sangue, suor e lágrimas. Falange, falanginha, falangeta. Região cervical, região dorsal, região lombar, sacro santo, ámen e cóccix também. Temos uma grande inconsciência do corpo. Aliás, temos uma grande inconsciência em geral. Um corpo em diálise com o público. Um corpo fora da sua zona de conforto. Um corpo no lugar de fala. Um corpo que fala. Um corpo que cala. Um corpo fora da caixa. Um corpo em desequilíbrio e queda. Um corpo do avesso e mais umas quantas banalidades que só de pano encharcado. Um corpo que tem um coração. Coração dilacerado, amargurado, apaixonado, desamparado, amado. Coração fragmentado, aiiiii coração… Na vida, escolhemos, ou somos escolhidos. E quando não acontece uma das duas? Tragédia. Solução: Reset.

22 de junho - teatro das entranhas.jpg

Concepção e direcção_ ricardo moura

Interpretes_ luis hipolito; maria João pereira; ricardo moura; catarina côdea

perfil 720x720_edited.png
bottom of page